Anexo III – Caderno de Encargos da Concessionária

Abaixo seguem as regras de sua utilização e documentos que fazem parte integrante da Consulta Pública. Cada link dá acesso à uma página para download e comentários específicos dos documentos que integram o Edital.

Se preferir, você também pode enviar suas considerações para o endereço eletrônico do Chamamento: projetoarenaanhembi@spturis.com. Lembre-se: arquivos anexos (.doc ou .dwg, por exemplo) devem vir em versões editáveis.

Sua contribuição é fundamental! 

Regras para utilização do site:

– Os usuários devem estar cientes de que seus comentários se tornarão públicos e compartilhados neste mesmo espaço e demais atos da Comissão Especial de Avaliação;

– Após o envio do comentário, o mesmo será submetido à apreciação prévia pela Comissão Especial de Avaliação, que verificará o emprego adequado dos termos e pertinência do conteúdo;

– Restringir os comentários ao documento sobre o qual se refere a página (exemplo, realizar comentários sobre o Edital, apenas na página dedicada ao Edital);

– Identificar item ou cláusula a ser alterado no documento sob consideração e efetuar comentários com clareza e objetividade;

– Além do preenchimento do Nome, CPF e E-mail, apresentar nome da empresa e CNPJ (se for o caso), endereço e telefone de contato – estes últimos no próprio corpo do comentário.

– A não observância das regras supra poderá acarretar a inutilização do comentário.

Clique aqui para fazer o download do arquivo.

Deixe o seu comentário abaixo

3 pensamentos em “Anexo III – Caderno de Encargos da Concessionária”

  1. Com referência ao Item 3. DIRETRIZES GERAIS DO EMPREENDIMENTO, subitem 3.3, quero ressaltar a importância da distribuição de áreas para cadeirantes nas arquibancadas e camarotes, cuja existência deve ocorrer em todos os setores da Arena, em atenção ao disposto nos itens 4.8, 10.3 e 10.11 da NBR 9050/15 da ABNT.
    Esta observação é para se evitar erros recentes cometidos em várias obras de construção ou reforma de estádios e praças esportivas.

  2. Prezada Comissão Especial de Avaliação,
    Sou o representante do Consórcio Almeida Almeida & Fleury Consultoria Econômica Ltda. – Tetraarq Arquitetura e Projetos Ltda e gostaria de comentar um ponto muito importante que consideramos que deve ser contemplado pelo “Anexo III – Caderno de Encargos da Concessionária” no item 3. DIRETRIZES GERAIS DO EMPREENDIMENTO, subitem 3.5.

    Nosso estudo entregue analisou a configuração do lote e entorno. Este diagnóstico constatou diversas problemáticas que poderiam inviabilizar o empreendimento da Arena, prejudicando principalmente a sua condição de acessibilidade e o tráfego local. Entre as questões identificadas destacam-se:

    – Localização do lote junto à via de passagem rápida (Av. Assis Chateaubriand – Marginal Tietê) com tráfego intenso, o que dificulta o acesso por veículos junto à face sul do terreno;
    – Terreno estreito com limitação do uso imposto pelo terreno vizinho, utilizado como concentração de carros alegóricos do Sambódromo durante o carnaval;
    – Nível do lençol freático alto, tornando muito onerosa a construção de estruturas enterradas muito profundas;
    – A Rua Professor Milton Rodrigues, que fica junto à fachada leste do lote da Arena, não tem possibilidade de comportar todo o fluxo de automóveis gerado pelos eventos sem prejudicar o tráfego na Av. Assis Chateaubriand, assim como a condição de acessibilidade de pedestres, táxis e bicicletas.

    Para solucionar esses conflitos, principalmente de acesso ao empreendimento, propusemos um nível de estacionamentos (subsolo) na área da concessão e que se estende sob a área de concentração do Sambódromo. Assim, a entrada e saída de veículos ocorreria pela Avenida Olavo Fontoura, via dupla com canteiro central, já utilizada atualmente para acesso em casos de grandes eventos, e que possui espaço suficiente para acomodar com segurança esta nova demanda. Propusemos do lado Sul do terreno, na Marginal Tietê, uma saída secundária que ocorreria no nível G-1 de estacionamento (térreo). Assim, não haveria entrada de automóveis pela Marginal, posto que a formação de fila de veículos seria perigosa e obstrutiva ao tráfego intenso daquela via, o que provavelmente inviabilizaria o empreendimento por dificultar o cumprimento das medidas mitigatórias que deverão ser exigidas pela Secretaria Municipal de Transportes (SMT) decorrentes desse impacto.
    Como vantagem adicional esta proposta ainda permitiria que a pista da Rua Prof. Milton Rodrigues em frente à fachada principal da Arena tivesse seu tráfego controlado, admitindo apenas a passagem de transporte coletivo, táxis, pedestres e ciclistas. Esta condição favoreceria e incentivaria o público a não se utilizar do automóvel para acessar os eventos.
    Conforme comentado pela comissão de avaliação a condição para que seja construído o estacionamento subterrâneo na área de concentração do Sambódromo é que este deveria ser realizado entre março e janeiro, período compreendido entre dois Carnavais, de modo a não prejudicar as escolas de samba participantes dos eventos. Em nosso estudo detalhamos estruturas com o emprego intensivo de pré-moldados de concreto armado (com opção de estrutura metálica ou mista de concreto e aço) e comprovamos ser viável a execução desse estacionamento nesse intervalo de tempo.
    Assim, vemos a necessidades de se, pelo menos, abrir a possibilidade nas Diretrizes de que o subsolo na área de concentração do Sambódromo possa ser utilizado como estacionamento, ou como meio de acesso de veículos ao empreendimento pela Avenida Olavo Fontoura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *